topo

Notícias

Fertilidade e sustentabilidade do solo não se compra, se conquista

Sem dúvida, uma das técnicas que permitiu que o Brasil se tornasse uma referência mundial na produção de grãos é o Sistema de Plantio Direto, introduzido na década de 70. Preconiza o não revolvimento do solo, a utilização da rotação de culturas e o uso de plantas de cobertura do solo para formação de palha, contribuindo de forma decisiva para tornar a produção agrícola mais sustentável.

O Plantio direto com qualidade hoje, ainda é desafio nas principais regiões produtoras de grãos do Sul do Brasil, uma vez que, em grande parte das áreas sob esse sistema, ocorre o cultivo continuado de monoculturas comerciais sobre cobertura de vegetação espontânea (pousio), ou apenas uma única espécie (aveia); o que tem resultado na degradação da estrutura e perda da capacidade produtiva do solo.

A compactação é um dos principais problemas. A modificação na estrutura física do solo restringe o desenvolvimento radicular (raízes) das culturas nas camadas superficiais, além da pouca infiltração e baixo armazenamento de água. Prejuízos com a falta de umidade podem ser minimizados por meio da adoção de técnicas que a algum tempo vem sendo esquecidas.

Um policultivo para adubação verde diferenciado

O plantio direto verdadeiro apresenta três pilares que fundamentam a sua prática. Entre elas está a produção de palha em grande quantidade. Dentro desse contexto, a utilização do mix de Adubação Verde RAÍX nos sistemas de cultivo é uma estratégia importante para a recuperação e/ou manutenção da qualidade do solo e o restabelecimento das relações biológicas. Assim sendo, a Cooperitaipu fechou parceria e tem esse produto a venda em todas as agropecuárias.

Conforme explica o Engenheiro Agrônomo e Supervisor de Vendas da RAÍX, André Luiz Rech, as espécies que compõem o MIX da marca apresentam capacidade de produzir mais de 8 toneladas de palha (biomassa). O responsável técnico da área de grãos da Cooperitaipu, Engenheiro Agrônomo Marcelo Salvatori, destaca que o ciclo do RAÍX 210 representa cerca de 3 vezes mais biomassa quando comparada a aveia em cultivo solteiro, que produz em torno de 3 toneladas.

Ambos são unânimes em afirmar que um sistema com raízes abundantes, vigorosas e bem formadas é imprescindível para lavouras produtivas. Os pilares da produtividade são: Ciclagem de nutrientes, capacidade do solo de infiltrar e reter água, descompactação e restruturação do solo, aporte de carbono e a produção de orgânicos que estimulam o crescimento das comunidades microbianas presentes na área em torno da raiz.

Todas essas verdades podem ser comprovadas in loco, já que a cobertura verde que protege o solo de toda a área de plantio do parque do Itaipu Rural Show é feita com o RAÍX 210. Toda a máxima potencialidade dos cultivares que o público viu nas últimas edições da exposição só foi possível através da preparação correta do solo.

Investir na melhoria da estrutura do solo é um fator essencial para garantir o futuro da produção agrícola, aumentar a eficiência produtiva das áreas e reduzir os custos de produção. O planejamento do ambiente para alcançar alta produtividade é garantido pelas parcerias que a Cooperitaipu realiza, através de comprovação técnica/prática/científica.